logomarca Airaf Boxers
e-mail para contato airaf@globo.com AIRAF@GLOBO.COM Telefone de Contato 55 31 3491-2243 +55 (31) 3491-2243 Contato Whatsapp 55 99971-2243 +55 99971-2243
Site na Linguagem Português do Brasil Site em Espanhol Site em Ingles
Airaf Boxers Reportagens

REPORTAGENS

Airaf Boxers Reportagens
Airaf Boxers Reportagens

O BOXER NA GUARDA


Ele une o útil ao agradável. É definido como alerta, corajoso, autoconfiante, forte, veloz e determinado. Tem uma extraordinária devoção à família, um instinto de proteção excepcional. A afeição que dedica às crianças é mundialmente conhecida. Quem convive com o Boxer percebe logo a sua boa índole e que age com as pessoas de fora sem a mesma agressividade que faz a fama das raças de guarda mais ostensivas. Ao deparar com um estranho no portão, o Boxer costuma apenas observá-lo atentamente enquanto não se sentir ameaçado. Mesmo ao perceber algo suspeito não toma atitudes totalmente agressivas de início: prefere dar o alarme, latindo. Quando o visitante é bem recebido pelo dono, pode até mostrar-se amistoso e receptivo. Nada a ver com a reserva e desconfiança que conviria a um guardião linha-dura.

Atitudes como essas chegam a colocar em dúvida a sua eficiência para a guarda. "Entre os cães classificados como de guarda, é no Boxer que deposito maior confiança para deixar junto à minha filha e à minha família. Mas apesar de todos os livros e revistas ressaltarem as habilidades da raça como guarda, quando visito conhecidos que têm Boxers, vejo que os seus cães não tentam me intimidar. Por que então atacariam um intruso qualquer?", perguntou a Cães & Cia o leitor Marco Aurélio Ciarlini Vollner, capitão da Polícia Militar da Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, à procura de um guardião para proteger o lar dele. "O Boxer tornou-se um cão de família; não sei se pode ser considerado de guarda", questiona o responsável por assuntos externos do The Kennel Club (TKC), Brian Leonard, que nunca teve um Boxer. Há até quem se recuse a vender Boxers para guarda. "Conheço uma criadora que se indignou quando um comprador lhe pediu um Boxer para fazer guarda e mandou-o procurar um canil de Pastores Alemães", queixa-se a presidente da Sociedade Paulista do Boxer e criadora da raça há onze anos pelo Canil Macorê, em Embu das Artes, Regina Coloneri. "Cheguei a duvidar da capacidade da minha primeira Boxer para guardar a casa e atacar intrusos, mas estava enganada", enfatiza Sonia Bloes, que começou como simples proprietária de um exemplar da raça e hoje a cria em seu Canil Emery Bowen, de Itapetininga, SP.

INSTINTO

Muita gente que conhece bem o Boxer garante: seu zelo vai além da preocupação com o bem-estar das crianças e das pessoas da casa. "Reduzir o Boxer a 'babá' chega a ser depreciativo. Ele é um cão de guarda, basta ver o padrão", diz Regina. A Federação Cinológica Internacional (FCI) - que adota o padrão da Alemanha, país de origem da raça - diz que o Boxer é "terrível" quando desempenha a sua missão de guarda. O American Kennel Club, dos Estados Unidos, determina: a raça é "instintivamente de guarda e alarme" e "deve ser cautelosa com estranhos". De forma semelhante, o TKC, da Inglaterra, define que a raça deve ter instinto de guarda e desconfiança a estranhos. A questão é que o estilo do Boxer nada tem a ver com o popular quanto mais fera, melhor. Ele só revida ao sentir ameaça, como quando há uma invasão ao seu território. "Antes de avançar, o Boxer julga a situação e a reação das pessoas. Ser dócil e sociável não o impede de ser corajoso a ponto de defender o dono até a morte", assegura Hilda Drumond, cinóloga, juíza de todas as raças, que criou Boxers por 45 anos. "Em vez de latir, ele observa para ver se identifica algo suspeito. E se perceber, dá o sinal e avança", descreve Patrícia Carlucci, criadora há dez anos pelo Alkaid Boxer Kennel, em Ribeirão Preto, SP. "O extremo apego do Boxer à família é a sua motivação para agir quando há perigo", reforça Carlos Rangel, que estudou 19 Boxers na guarda e tem mais de vinte anos de experiência em adestramento, além de ser o responsável pelo treinamento dos cerca de 70 cães de guarda da empresa de segurança Pires.

Um estranho, mesmo que pareça ter se tornado amigo de um Boxer, não fica livre de ser reavaliado na próxima visita. "Se eu deixar o Boxer com um desconhecido, o cão até gostará da companhia; mas se a pessoa deixar de ser bem-vinda, possivelmente será defensivo, trocando contato com olhares e rosnados", prevê Bruce Cattanach, criador da raça há 40 anos em Harwell, Oxfordshire, Inglaterra, e ex-presidente do principal clube inglês da raça, o British Boxer Club. "O Boxer é um dos poucos cães capaz de se transformar, indo da extrema docilidade à extrema agressividade, porém mantendo o autocontrole", acredita Gilberto Rocha, criador da raça há 22 anos, pelo Gama Grass Kennel, de Sorocaba, SP.

Cara de bravo, postura alerta e peito projetado para a frente - essas características físicas dão ao Boxer uma aparência que atemoriza. Numa pesquisa realizada com cem pessoas por Cães & Cia (edição 197), a cara do Boxer foi considerada a mais intimidadora entre as sete raças de guarda mais populares. "Intimidação é 80% da eficiência na guarda", destaca Rangel. "É preferível não arriscar para saber o que se esconde por trás da cara de mau do Boxer", diz Hilda. "As pessoas têm mais medo da cara de bravo das minhas Boxers do que a das minhas Rottweilers", afirma Sonia, que hoje tem seis Boxers. O oficial e adestrador da Polícia de St. Louis, nos EUA, Edward Meyer, comenta: "Recentemente, um conhecido me recebeu com um Boxer solto ao lado. Com minha experiência, fiz amizade com o cão em poucos minutos e passei inclusive a mão na cabeça dele. Mas, com essa mesma experiência, eu não entraria naquela casa sem o dono por perto; o vigor físico e a vigilância atenta do Boxer me impõem respeito."

A proprietária Sonia afirma: "Não tenho mais qualquer dúvida sobre as aptidões da raça para a guarda." Ela é testemunha de dois casos reveladores. Um dia sua Boxer estava presa e de repente ficou bastante impaciente. Sonia resolveu soltá-la e viu-a sair correndo. Seguiu-a com o olhar e percebeu que havia um ladrão dentro do quintal. Aterrorizado, ao ver o cachorro correndo em sua direção, o invasor logo pulou o muro e fugiu. Em outra oportunidade, Sonia já tinha duas Boxers. Ao voltar para casa de madrugada encontrou uma porta, que esquecera de fechar, escancarada provavelmente pelo vento. As duas Boxers, deitadas ao lado, tomavam conta. "Achei incrível. Elas poderiam ter entrado na sala, bem mais confortável", diz ela.

Testemunha também desse instinto, Marianne Monteiro, de São Paulo, tem dois Boxers em casa comprados para companhia, que sempre receberam os visitantes bem, às vezes com pulos de amizade. Mas um dia dois entregadores de gás entraram sem aviso e os cães partiram pra cima deles, arrastando uma tampa de concreto bem pesada à qual estavam presos. A mãe de Marianne, ao ouvir os latidos, ordenou que parassem. Obedeceram de imediato, mas mantiveram os entregadores sob vigilância. Resultado: aqueles homens nunca mais voltaram. Outra vez, Marianne chegou em casa e encontrou no porão os pedreiros que reformavam sua casa. Chamavam por socorro e os dois Boxers mantinham-se sentados, de olho na porta. "Eram pessoas desconhecidas que, por descuido, havíamos deixado sozinhas com os cães soltos", conta.

EM AÇÃO

"O ataque do Boxer não deixa nada a desejar ao de outras raças", avalia o adestrador Rangel. Ele explica: seu ataque é rápido, com excelente mobilidade, sendo a velocidade e resistência superiores a algumas raças de guarda mais pesadas; é determinado e decidido para a luta; o dinamismo se alia à silhueta menor que a de outras raças de guarda e o tornam um alvo difícil pouco alvejável; atua bem no escuro devido à audição e faro; a formação dentária extremamente bem projetada e desenvolvida e mais a musculatura firme da mandíbula lhe dão uma mordida muito poderosa. "O Boxer é mais veloz compensando a maior velocidade de arranque do Rottweiler com uma maior resistência para manter o ritmo em um confronto; supera o maior peso do Rottweiler com um ímpeto de ataque maior devido à sua maior decisão e rapidez, e sobrepuja a maior agilidade do Dobermann com um ataque mais impetuoso por ter uma vitalidade maior", compara Rangel.

Facilmente adestrável e controlável pelo condutor, o Boxer também costuma responder aos comandos sem resistir, ao contrário das raças mais dominantes. Rangel, em seus testes com os 19 Boxers - tinham idades entre 6 meses e 3 anos - concluiu que eles retiveram muito bem o aprendizado quando adestrados. "Treinei-os e depois os entreguei a famílias que os trataram como cães de estimação. Passados seis a oito meses, submeti-os a provas de ataque e eles responderam perfeitamente", conta. Mais que controlável, o Boxer tem autocontrole, qualidade importante para evitar acidentes.
"O conjunto de suas características o tornam interessante para a guarda profissional", considera Rangel. Na Pires, cada cão trabalha em dupla com um vigilante e só deve atuar quando agredido ou solicitado pelo condutor. "O Boxer age exatamente assim", explica Rangel, que tornou-se entusiasta da raça e pensa em adotá-la na empresa. "Só não o fiz até agora por me faltar o tempo exigido para uma implantação dessas", justifica. "O potencial do Boxer permite que seja bem mais aproveitado profissionalmente do que é. Se não aconteceu até hoje, é devido à tradição muito forte do Pastor Alemão desde o início do século", teoriza. Meyer, como oficial e adestrador da polícia americana, confirma na prática: "Me adaptei bem aos Pastores e não vejo por que substituí-los."

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

Airaf Boxers Reportagens

 

ENDEREÇO
GERALDINO MAGALHÃES BARROS, 47
31560-140 - BELO HORIZONTE - MG - BRASIL


EMAIL
AIRAF@GLOBO.COM

TELEFONE
+55 (31) 3491-2243 / 99971-2243

 
 
REDES SOCIAIS
+55 31 99971-2243